Espírito Santo. Quarta-feira, 30 de Julho de 2014. Seja bem-vindo ao site da ACCOES - Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos no Espírito Santo.

Informativos 2013

 

Classificados

Compra

    Carregando...

Venda

    Carregando...

Troco

    Carregando...

Empregos

    Carregando...

Guia de Raças

Boer

A origem do boer é vaga, mas alguns trabalhos postulam que seus ancestrais se originaram de caprinos criados pelos povos Namaaqua Hottentots e tribos do Sudoeste do Bantu.

Outros caprinos da Índia, provavelmente, também influenciaram os antepaçados do boer.

A concorrência de alguns animais mochos indica a participação de caprinos leiteiros da Europa. Evidentemente, os caprinos da raça Boer foram formados a partir de um "pool de genes" dessas raças, especialmente levando em consideração as migrações e as práticas de comércio dos antigos habitantes da África do Sul. Nenhuma diferença tem sido encontrada na frequência gênica do polimorfismo sanguíneo entre as populações de caprinos ali existentes e a raça de caprinos Boer.

O Boer constitui uma das principais linhagens que os criadores têm selecionado para corte. As características específicas / desejadas que tem sido melhoradas e que formam a base do padrão da raça incluem: boa conformação, rápida taxa de crescimento, fertilidade e fecundidade altas, tipo e pelagem uniformes; além de grande rusticidade e adaptabilidade a várias condições de ambiemte.

Generalidades sobre a Raça:

Quando os criadores de caprinos, que eram nômades, tornaram-se sedentários e começaram a explorar os caprinos para características distintas, na região Oeste da cidade do Cabo, no período de 1800 a 1820, o Boer "comum", evoluiu para um animal mais compacto, bem proporcional e com pêlos curtos. No início do século XX, o aparecimento de uma raça distinta já era evidente, visto que os criadores que sucederam aqueles povos no processo de melhoramento desses animais, já haviam conseguindo um tipo de caprino com boa conformação, alta taxa de crescimento, boa fertilidade, pêlos curtos, pelagem formadas por manchas vermelhas que se estendiam da cabeça até a região da paleta. Trabalhos na área de melhoramento genético animal tem mostrado que um gene de efeito maior pode ser responsável pela cor da pelagem típica desta raça.

Em Julho de 1959, com a fundação da Associação de Criadores de Caprinos da Raça Boer da África do Sul, um programa de melhoramento genético foi elaborado e, a partir daí, um novo caprino Boer emergiu, o Boer "melhorado", baseado na formulações de padrões raciais, o qual constitui um guia para a seleção e aprimoramento da raça. Estes padrões basearam-se, inicialmente, em características morfológicas, mas no estágio seguinte foi dado ênfase à inclusão de características de produção à medida que mais criadores reconheciam e aceitavam os méritos do teste de performance.

Características da Produção:

Os caprinos geralmente não tem uma alta taxa de crescimento, quando comparados aos ovinos. No entanto, sob condições favoráveis, os caprinos Boer podem apresentar ganho em peso diário a uma taxa de mais de 200 g/dia. Cabritos provenientes de partos simples, quando submetidos a um plano nutricional adequado, podem atingir até 39,0 kg de peso vivo aos168 dias de idade e 65,0 kg aos 310 dias, com rendimento de carcaça de 51% e 56%, respectivamente. Em teste de performance de cabritos, na África do Sul, encontram pesos vivos, aos 100 dias de idade, de 23,6 a 32,3 kg para machos e de 19,0 a 27,8 kg para as fêmeas.

As fêmeas da raça Boer, em condições de manejo adequado, podem atingir a puberdade aos sete meses de idade. Elas são poliestrais, com o pico da atividade sexual ocorrendo de acordo com a estação de ano. Alguns estudos tem comprovado que os cabritos Boer podem acasalar com sucesso aos 180 dias de idade.

O valor econômico do Boer é em primeiro lugar, determinado por seus produtos carne e pele.

A produção de leite da raça Boer é significativa, garantindo alimentação e desenvolvimento excelentes para suas crias e assegurando para as matrizes uma excepcional qualidade materna, cujas crias obtêm elevadas taxas de desmame (160% - 200%).